Google+ Badge

sábado, 30 de maio de 2009

Manifesto da Korean Friendship Association (KFA)*

http://www.korea-dpr.com/cgi-bin/simpleforum.cgi/simpleforum.cgi?fid=08&topic_id=1243271157&reply=1243271157Sobre o segundo teste nuclear subterrâneo 25/5/2009A República Popular Democrática da Coreia tem direito soberano de desenvolver sua defesa.O jogo duplo dos EUA é evidente em toda sua política internacional. Enquanto os EUA armazenam milhares de ogivas nucleares, fazendo testes dentro e fora de seu território – e sendo os EUA a única nação do mundo que algum dia usou bombas atômicas contra outros povos –, os mesmos EUA que acusam a República Popular da Coreia de ser nação "provocadora" e "perigosa", que agiria contra a opinião pública internacional. Outras potências nucleares como França ou Israel fazem testes de muito maior potência e regularmente, sem que recebam qualquer condenação internacional. O problema é que essa "opinião pública internacional" é uma metáfora que, na realidade, só se designa à propaganda imperialista e unilateral da Casa Branca, que se crê com direitos de representar todos os povos e de impor sua cultura e sua economia a todas as demais nações do mundo. As resoluções do Conselho de Segurança da ONU não preocupam, de modo algum, a República Popular Democrática da Coréia, que considera essas resoluções a via pela qual as superpotências 'legalizam' seus próprios planos e projetos políticos-estratégicos, como a invasão do Iraque e a própria Guerra da Coreia. Como consequência do Comunicado do Conselho de Segurança de 13/4/2009, em que se condena o lançamento do satélite artificial civil Kwanmyongsong-2, nosso Ministério de Assuntos Exteriores declarou nulas as conversações plurilaterais, dado que é absurdo prosseguir em conversações de paz e aproximação com os EUA, enquanto os mesmos EUA continuam a impor sanções e a violar o direito básico de nossa República Popular. Os EUA devem saber que a República Popular Democrática da Coreia jamais se submeterá. Os EUA devem aprender a respeitar nosso governo e a tratá-lo como igual.A República Popular Democrática da Coreia deseja a paz. Mas não se ajoelhará ante Washington para consegui-la. O exército e o povo estão prontos para o futuro, seja a paz, seja a guerra. As sanções impostas pelos EUA começaram desde o primeiro momento de criação da República Popular Democrática da Coreia. Nosso país sempre viveu sob sanções contínuas. Podemos continuar vivendo sob sanções impostas pelos EUA.A Guerra da Coreia, entre os EUA e a República Popular Democrática da Coreia foi suspensa quando se assinou o armistício de 27/7/1953. As duas nações, portanto, permanecem, tecnicamente, em guerra.O governo da República Popular Democrática da Coreia vem, há muitos anos, tentanto insistentemente substituir o acordo de armistício por um tratado de paz definitivo. Até agora, os EUA sempre se negaram a assinar a paz. Essa negativa só se explica se se admite que Washington insiste em reservar-se o direito de retomar a invasão do norte da Coreia. Por isso, seja qual for a campanha de propaganda que o governo Obama proponha agora, ela será completamente ignorada, se não vier fundamentada em atos consequentes de aproximação. Como informamos regularmente pelas agências oficiais de notícias, o desenvolvimento nuclear da República Popular Democrática da Coreia tem finalidades puramente defensivas/disuasivas – as quais já se comprovaram necessárias, porque são a única salvaguarda do país ante a agressão imperialista. Que ninguém esqueça que o presidente George Bush [pai] passara já, no seus últimos meses de governo, de uma posição bélica para uma posição de interessado em aproximação, depois de a República Popular Democrática da Coreia ter-se declarado Estado nuclear).Os EUA são os principais interessados em que a República Popular Democrática da Coreia não construa capacidades de tecnologia nuclear, pois temem que os materiais nucleares sejam vendidos a outros países e organizações. A República Popular Democrática da Coreia é nação mais unida e mais estável que os EUA. Não promovemos o terrorismo, não vivemos expostos a atos terroristas, não vivemos sob ameaça de 'vazamentos' de saberes científicos. Todas as nossas políticas visam e sempre visaram a rechaçar todos os tipos de terrorismo e a não ceder tecnologia nuclear a terceiros. A República Popular Democrática da Coreia lembra a todos que os EUA são os maiores produtores e exportadores de armas do mundo. Que financiaram dezenas de movimentos clandestinos e de invasões ilegais e que, desde 1953, mantêm sob ocupação a Coreia do Sul, com suas bases militares e mais de 30 mil soldados lá impostos, além de submarinos, bombardeiros e navios armados com mísseis nucleares. Os EUA são ameaça real à paz na península coreana, por mais que insistam em criminalizar a República Popular Democrática da Coreia, para assim ocultarem ações dos EUA. Enquanto os EUA insistirem em sua política exterior de pressão e arrogância, a República Popular Democrática da Coreia seguirá o caminho que traçou para si, e fará tantos testes de mísseis defensivos e nucleares quantos considere necessários. [assina] Alejandro Cao de Benós de Les y PérezKorean Friendship Association (KFA)

* Esse documento não é comunicado oficial do governo da RPDC (como alguns blogs estão divulgando). Esse comunicado foi distribuído por internet, por um grupo de militantes, autodefinidos como Korean Friendship Association (KFA). Mas é, sim, consistente defesa dos direitos da RPDC e merece divulgação democrática. ____________________________________________________________________ A Rede para Difusão da Cultura Árabe-Brasileira Samba do Ventre tem como missão incentivar e promover pesquisas da agregação de valor da cultura árabe à cultura brasileira, e proporcionar a integração com diversas comunidades na busca "Pela Paz no Oriente Médio e pela valorização da auto-estima do povo árabe e seus descendentes através da música, da dança oriental e todas as manifestações sócio-culturais que derivaram deste caldeirão étnico chamado BRASIL." Para retirar seu e-mail desta lista responder em branco com assunto REMOVER

Nenhum comentário: